A Agência Japonesa de Energia Atómica (JAEA) concluiu o primeiro estudo sobre a qualidade do ar, junto a central nuclear de Fukushima. Os altos níveis foram comprovados, de acordo com o diário «Asahi».



A intervenção ocorreu num raio de três kilómetros em torno da central, utilizando de um helicóptero telecomandado.

O estudo revelou níveis de radiação quase 20 vezes superior ao normal.

E calcula-se que já esteve em níveis muito superiores, uma vez que a medição foi feita depois de uma descontaminação dos edifícios, que contribuiu para uma descida significativa dos níveis de radiação.

O desastre da central nuclear de Fukushima mantém 52 mil pessoas desalojadas, afectando gravemente a pesca e a agricultura local.