O Estado Islâmico do Iraque e do Levante ameaçou o presidente russo, Vladimir Putin, devido ao seu apoio ao homólogo sírio, Bashar al-Assad.

O grupo radical sunita, que controla vastas regiões da Síria e do Iraque, publicou um vídeo na internet no qual jura que derrubará o presidente russo e que libertará a Chechénia e todas as outras regiões muçulmanas do Cáucaso russo, como o Daguestão e a Ingúchia.

«É uma mensagem para ti, Vladimir Putin: estes aviões que enviaste a Bashar, vamos despachá-los de volta», diz um extremista no vídeo.

Os militantes justificam a ameaça por causa do apoio diplomático e militar da Rússia ao regime de Assad, que é também ameaçado na gravação.

«O Estado Islâmico existe e vai continuar a existir e a expandir-se, com a ajuda de Alá. O teu trono já está a tremer. Está em risco e vai cair quando chegarmos a ti», ouve-se no vídeo.

Há mais de três anos que Assad, da minoria alauíta (um ramo do islão xiita), trava uma guerra civil contra rebeldes maioritariamente sunitas, entre os quais o Estado Islâmico se destaca como o mais poderoso.