O avião do exército que repatriou, esta quinta-feira, para Madrid desde a Libéria o religioso espanhol Miguel Pajares, infetado com o vírus Ébola, e a monja de origem guineense e passaporte espanhol Juliana Bohi, chegou à capital espanhola.

De acordo com a agência Efe, o avião, um Airbus A310 da força aérea, chegou à base de Torrejón de Ardoz às 08:10 locais (07:10 em Lisboa).

O avião militar foi equipado com todas as medidas médicas e de segurança para evitar contágios à tripulação e ao pessoal médico que acompanhou a operação e tinha descolado à 01:30 do aeroporto de Monrovia.

A operação de repatriamento demorou mais do que o previsto porque foi necessário o transporte dos doentes desde o hospital até ao aeroporto onde deveriam estar quando a aeronave aterrou ao final da tarde na Libéria.

Os doentes serão agora transportados para o hospital Carlos III de Madrid que tem todos os protocolos de segurança ativados para garantir um risco mínimo de contágio.

Libéria declara estado de emergência por causa do Ébola

O surto de Ébola na África Ocidental já infetou 1.711 pessoas, das quais 932 morreram, de acordo com o mais recente balanço divulgado pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A febre hemorrágica provocada por este vírus é uma doença infecciosa grave identificada pela primeira vez em 1976, na República Democrática do Congo (antigo Zaire) perto do rio Ébola, daí o nome.

A doença transmite-se por contacto direto com o sangue, secreções de órgãos ou fluidos corporais de pessoas infetadas. A incubação da doença pode levar até 21 dias e a mortalidade varia entre 25% e 90%, dependendo da estirpe.