O Presidente de Serra Leoa, Ernest Bai Koroma, declarou esta quinta-feira o «estado de emergência pública» para travar o surto de Ébola, que já causou mais de 220 mortos no país.

«Os desafios extraordinários requerem medidas extraordinárias», afirmou Bai Koroma, numa mensagem dirigida à nação.

«No momento, proclamo o estado de emergência pública como forma mais contundente a fim de enfrentar o surto de Ébola», sublinhou o Presidente, acrescentando que cancelou a sua participação na reunião que os Estados Unidos e os países africanos realizam na próxima semana, em Washington, para poder ocupar-se da crise provocada pela doença.

O Presidente anunciou também um plano de resposta nacional, cuja aplicação vai significar que «todos os epicentros da doença serão colocados em quarentena».

A polícia e o exército darão apoio aos médicos e organizações não-governamentais para poderem realizar o seu trabalho e restringir os movimentos nas zonas afetadas pelo vírus.