Um rapaz palestiniano de 11 anos foi morto este domingo a tiro por tropas israelitas num campo de refugiados na Cisjordânia, segundo familiares e elementos dos serviços de emergência.

Khalil Mohammed al-Anati estava a brincar em frente da sua casa, no campo de refugiados de Al-Fawar, a sudoeste da cidade de Hebron, quando chegou uma unidade militar israelita, disse o tio da criança à agência France Presse.

«Não sabemos o que é que eles [os israelitas] estavam a fazer. Khalil estava a brincar em frente da casa quando ouvimos tiros. A criança gritou e caiu», relatou Yussef al-Anati, a chorar, com a camisa manchada de sangue por ter pegado no sobrinho ao colo para o levar ao hospital.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamim Netanyahu, afirmou hoje que a operação «Margem Protetora» continuará até que os israelitas tenham «calma» e assegurou aos seus ministros que não negociará «debaixo de fogo».

«A 'Operação Margem Protetora' continua. Não dissemos que tinha acabado em momento algum e continuará até alcançar o objetivo», disse Netanyahu, no início da reunião semanal do Conselho de Ministros, a decorrer hoje no Ministério da Defesa, em Telavive.

Netanyahu, que tem sido pressionado pela ala mais conservadora do Governo para que retome as operações terrestres e derrube a força militar do Hamas, referiu que «levará algum tempo» até que a serenidade volte a Israel.