Miguel agora chama-se Luana. Na Argentina, uma criança de seis anos que nasceu menino recebeu esta semana uma nova certidão de nascimento com a indicação de mudança de sexo.

Segundo a mãe, Gabriela, a criança nasceu menino mas sempre se sentiu do sexo feminino, o que a levou a entrar com um pedido de mudança de identidade, que lhe foi inicialmente negado pelo tribunal e pelo registo de civis da província de Buenos Aires. A recusa foi justificada com o facto de se tratar de um menor de 14 anos, com «incapacidade absoluta» para tomar tamanha decisão.

Em setembro último, a Secretaria Nacional da Infância, Adolescência e Família da Argentina pediu para ser revista a situação. O jornal argentino «La Nacion» escreve que se trata do primeiro caso de mudança de identidade no mundo de uma criança tão pequena.

O caso tem sido apoiado pela Comunidade Homossexual Argentina e também pelo governo. A alteração no documento de identificação teve como fundamento a sua identidade autopercebida.