O Conselho Europeu desta quarta-feira terminou sem acordo sobre os nomes para os lugares de topo que vão representar os 28.A decisão quanto aos nomes acabou por ficar adiada para o final de agosto.

Segundo a Reuters, o nome da ministra dos Negócios Estrangeiros italiana Federica Mogherini para a chefia das relações diplomáticas externas da União Europeia, não reuniu o consenso.

Os dirigentes europeus não conseguiram chegar a acordo sobre as nomeações para os principais postos dirigentes da União Europeia (UE) nos próximos cinco anos

Na conferência de imprensa que deu no final da reunião, o primeiro-ministro português referiu que na reunião se falou da situação crítica na Faixa de Gaza.

A cimeira desta quarta-feira, destinada a discutir a atribuição de outros altos cargos europeus, designadamente os de presidente do Conselho Europeu e de Alto Representante da UE para os Negócios Estrangeiros, teve início pouco depois das 20:15 locais (19:15 de Lisboa) e terminou pouco antes da meia-noite.

A cimeira «terminou sem acordo» sobre os nomes dos próximos chefes da diplomacia da UE e do presidente do Conselho europeu, e que segundo outro responsável poderá implicar um novo conclave dos chefes de Estado e de governos dos 28 Estados-membros, provavelmente no final de agosto.

Um dia depois de o Parlamento Europeu ter confirmado Jean-Claude Juncker como sucessor de Durão Barroso na presidência da Comissão Europeia, os líderes europeus reuniram-se na quarta-feira, em Bruxelas, para discutir a atribuição dos restantes altos cargos institucionais.



O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho teve esta quarta-feira um encontro bilateral com o recém-eleito presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, imediatamente antes do Conselho Europeu em Bruxelas, para discutir o posto de Portugal no futuro colégio.

Fontes do gabinete do primeiro-ministro e do futuro presidente do executivo comunitário disseram à Lusa que os dois líderes se encontraram antes do início dos trabalhos da cimeira de chefes de Estado e de Governo da União Europeia, adiantando que este encontro se insere no quadro das consultas que Juncker está a manter com os Estados-membros que ainda não designaram os seus comissários.

Juncker, eleito na terça-feira pelo Parlamento Europeu para o cargo de presidente da Comissão, aproveitou a realização de um Conselho Europeu em Bruxelas (no qual participará parcialmente, como convidado), para discutir com vários líderes a constituição do seu executivo comunitário, que espera ter «fechada» até meados de agosto, de forma a que os comissários designados possam realizar as audições no Parlamento Europeu em setembro, antes do voto da assembleia.

Portugal é um dos 16 Estados-membros que ainda não indicou quem será o seu comissário na futura «Comissão Juncker», que sucederá ao atual executivo comunitário liderado por Durão Barroso a 01 de novembro próximo.

Pedro Passos Coelho garantiu que procurará fazê-lo «tão rápido quanto possível», até final do mês.

«Evidentemente, Portugal procurará também, tão rápido quanto possível, apresentar um nome», mas sublinhou que, «nesta fase», o Governo ainda não escolheu um nome para comissário ou comissária europeus.