O navio Costa Concordia, que naufragou há dois anos junto à costa italiana parece uma história sem fim. O navio ainda tem de ser rebocado para um porto e desmantelado para reciclagem. A Sky News adianta esta sexta-feira que o destino do Costa Concordia será, muito provavelmente, o porto britânico de Middlesbrough.

Com 114 mil toneladas, erguer e retirar o navio de cruzeiro das águas do Mediterrânio é uma tarefa complexa, que, na verdade, já começou em setembro do ano passado, quando numa operação arriscada de 19 horas e desafiando as leis da física, o Costa Concordia foi colocado na posição vertical, assente em seis plataformas e mais de mil estacas.

O processo orçamentado em 600 milhões de euros só deve ficar concluído em junho de 2014, praticamente dois anos e meio após o barco de luxo ter tombado junto à ilha de Giglio, em Itália, com quatro mil pessoas a bordo e provocando a morte a dezenas.

Talvez nessa altura já seja conhecida a sentença do comandante do navio, Francesco Schettino, que está a ser julgado por homicídio negligente.

Menos tempo têm que esperar os donos pelos pertences entretanto retirados do navio e que estavam nos cofres, submersos.