A líder da extrema-direita francesa defendeu esta quinta-feira a «derrocada» da União Europeia.

«Como melhorar a UE? Em primeiro lugar, destruindo-a», afirmou Marine Le Pen durante um encontro com media anglo-saxónicos perto de Paris.

«Penso que [a UE] não é reformável», prosseguiu a dirigente da Frente Nacional (FN), que manifestou a ambição de tornar o seu partido «no primeiro de França» nas eleições europeias que vão decorrer em maio.

«É necessário aguardar que tudo se desmorone, contribuindo para isso se possível, para fazer emergir um projeto de uma Europa de nações livres que era de facto o que pretendia o general De Gaulle», argumentou.

Para a dirigente da FN, «isso implica evidentemente o desaparecimento da imensa maioria das atuais estruturas da UE».

«Apenas espero uma coisa do sistema europeu, que expluda», acrescentou, citada pela agência noticiosa AFP.

«A função que vamos desempenhar, nós, patriotas eleitos para o Parlamento europeu, vai ser sobretudo a de bloquear qualquer avanço suplementar desta união federal europeia», garantiu Marine Le Pen.

Em 2009 a FN elegeu três dos 74 deputados franceses no Parlamento Europeu.