Cinco civis foram mortos este domingo na Ucrânia. Os Nacionalistas russos são os suspeitos e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo já mostrou a sua repulsa pelo ataque, noticia a BBC.

De acordo com a Reuters, alguns veículos aproximaram-se de um posto de controlo dos rebeldes pró-russos e, de repente. O tiroteio teve lugar em Slavyansk.

O incidente ocorre enquanto os manifestantes pró-russos mantêm a ocupação dos edifícios governamentais.

Durante conversações em Genebra, na quinta-feira, os dois alados acordaram na desmilitarização de grupos armados de civis, mas, tal, continua a não se verificar. Moscovo critica estas mortes e diz que são a prova da incapacidade de Kiev de desarmar «nacionalistas e extremistas».

As tréguas pedidas pela Páscoa parecem não ter sido atendidas.

Na Rússia, a Páscoa ortodoxa foi celebrada no sábado numa missa na catedral de Moscovo, com a presença da Vladimir Putin e do primeiro-ministro Dimitry Medvedev.

Na cerimónia, o fogo sagrado de Jerusalém foi entregue a Moscovo, enquanto o patriarca anunciava a ressurreição de Jesus Cristo.

O fogo sagrado vem todos os anos da igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém e depois distribuído pelo território russo.

Este ano, a primeira região a receber o fogo é a Crimeia.