A China executou 13 pessoas consideradas culpadas de «ataques terroristas e crimes violentos» em diferentes zonas de Xinjiang, noroeste do país, revelou a agência Xinhua.

Os 13 executados estavam ligados a sete casos distintos e foram condenados por, refere a Xinhua, «dirigir e participar em grupos terroristas, cometer homicídios e roubos e por fabricar e armazenar explosivo».

A agência oficial chinesa explica que as sentenças foram ditadas pelos tribunais de Aksu, Turpan e Hotan, embora a pena capital tenha sido, posteriormente, aprovada pelo Supremo Tribunal do país, como cita a Lusa.