O jornal espanhol «El País» foi censurado na China após uma investigação em que revela que familiares de figuras de topo da hierarquia política chinesa, incluindo a família do presidente, têm contas em paraísos fiscais.

Segunda a edição desta quarta-feira do «El País», o jornal espanhol não foi o único a ser banido do espaço cibernauta chines. Também o «Le Monde» ou «The Guardian» foram censurados por participarem na investigação que durou dois anos e que dá a saber que os familiares do presidente e de outros altos representantes do país têm contas milionárias nas Ilhas Virgens Britânicas, um paraíso fiscal nas Caraíbas.

O «El País» pediu esclarecimentos à China, mas até a momento não recebeu nenhuma justificação oficial para o sucedido. Esta situação não é, contudo, uma novidade naquele país comunista asiático. Também o «New York Times» ou o «Bloomberg» foram bloqueados devido a notícias pouco abonatórias para a estruturas políticas do país, embora o presidente Xi Jinping tenha prometido uma política de transparência e combate à corrupção.