Um jovem casal que se afogou na costa de Tripoli, na costa italiana, no outono passado, morreu abraçado segundo uma foto divulgada esta sexta-feira pelo jornal «La Reppublica».

Os cadáveres foram encontrados junto ao barco afundado.

A imagem do casal conta uma história inacabada de um amor com esperança num futuro melhor e num outro continente.

Quantos como eles, com os mesmos sonhos, terão morrido naquele barco? Em números, 366 afogados após o barco com imigrantes clandestinos vindos de África ter-se incendiado e naufragado antes de atingir a costa de Lampedusa, em Itália.

O mergulhador Renato Sollustri também descreveu ao jornal italiano que foi uma missão «horrível».

Antes de ficarem sem oxigénio, a sua equipa viu o corpo de uma mãe com um bebé recém-nascido ainda nas pernas, acabado de dar à luz. «A minha máscara encheu-se de lágrima» naquele cemitério no fundo do mar.

Na última incursão, os mergulhadores recuperaram 17 corpos. Outros 206 foram resgatados das águas entre a Líbia e Itália.