O Canadá vai permitir em 2014 entre 240 a 265 mil autorizações de residência permanente, numa estratégia para impulsionar o «crescimento económico do país», anunciou o Governo.

Na apresentação do plano de imigração, segunda-feira, o ministro da Cidadania e Imigração, Chris Alexander, explicou que o Canadá «está numa competição global pelos melhores e mais brilhantes imigrantes, e este plano é trabalhado para atrair as pessoas necessárias para o país ter sucesso».

As autoridades preveem que os motivos económicos estejam na origem da escolha de 63 por cento dos novos imigrantes.

Em 2014, o Canadá espera receber 14 mil residentes permanentes através do programa Classe Experiência Canadiana, o maior número desde que foi lançado o programa, em 2008, que já permitiu a atribuição de 25 mil registos.

«Precisamos de novos imigrantes que desejem colocar as suas habilidades, ideias e energias no trabalho», salientou o governante.

O CEC permite a transição para residência permanente de quem cumpra requisitos de linguagem e tenha pelo menos um ano de experiência de trabalho qualificado no Canadá. O modelo inclui também estudantes estrangeiros graduados que se encontram no país a trabalhar numa situação legal.

Outra solução de registo é o Programa de Nomeação Provincial, que inclui contratações para suprir carências regionais, que pretende acolher 44.500 a 47 mil residentes permanentes em 2014, o que também representa os mais altos níveis de sempre.

Este é o segundo maior programa da imigração económico do Canadá, tem crescido, tendo abrangido em 2000, cerca de 1250 candidatos, passando para quase 41 mil em 2012.

Todas as províncias, menos o Quebeque e Nunavat, têm acordos de nomeação provincial. Relativamente ao acordo entre o Canadá e o Quebeque, a província, que tem uma forte comunidade portuguesa, tem a última palavra para a seleção dos seus imigrantes, que contudo devem seguir os requisitos de admissibilidade do governo federal.

A Cidadania e Imigração do Canadá lança em breve outros programas de imigração para atingir os valores previstos para 2014.