O número de mortos do ataque a um restaurante de Cabul, Afeganistão, na sexta-feira subiu para 21, revelou este sábado a polícia.

O ataque aconteceu à hora de jantar quando dois desconhecidos abriram fogo disparando «indiscriminadamente» no interior do estabelecimento, referiram fontes oficiais.

O ataque à Taverna do Líbano foi de imediato reivindicado pelos talibãs, que combatem o governo afegão e as forças internacionais estacionadas no país lideradas pelos Estados Unidos.

Para além do funcionário do FMI, pelo menos três membros da missão das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) morreram no ataque perpetrado contra o restaurante, revelou o Secretário-Geral das Nações Unidas.

«Estes ataques dirigidos contra civis são totalmente inaceitáveis e constituem uma violação flagrante do direito internacional humanitário», afirmou o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, citado pelo seu porta-voz.

Entre as vítimas estão muitos estrangeiros estrangeiros.