Notícia atualizada

O Papa Bento XVI afastou cerca de 400 padres por alegados abusos sexuais sobre crianças em apenas dois anos.

Os números do Vaticano a que a Associated Press teve acesso referem-se ao período de 2011-2012 e representam a primeira vez que a Santa Sé elaborou uma estatística deste género. Antes disso, só tinha enumerado casos de alegado abuso sexual que tivessem sido denunciados.

O documento foi elaborado com vista à defesa da Igreja Católica junto das nações Unidas, que teve lugar na quinta-feira.

A organização SNAP, que junta vítimas de abusos sexuais por parte de membros da Igreja, já disse em comunicado que essas medidas disciplinares não são suficientes e que «o Papa deve afastar também os clérigos que encobriram crimes sexuais».