A investigação preliminar ao desaparecimento do Boeing 777 da Malaysian Airlines aponta para desintegração no ar, segundo fonte citada neste domingo pela agência Reuters, dando assim seguimento à tese de terrorismo.

Interpol revela que passageiros austríaco e italiano tinham passaportes falsos

O diário vietnamita «Tien Phong» adianta mesmo que a Malásia já pediu autorização ao Vietname para que cinco navios possam entrar nas suas águas territoriais para recuperar os alegados destroços que foram fotografados pelas autoridades locais.

A força aérea vietnamita terá localizado fragmentos do Boeing 777 a flutuar nas águas a cerca de 80 quilómetros a sul da ilha de Tho Chu e, ao que tudo indica, tratar-se-ão de uma porta e de um pedaço da cauda, de acordo com o ministro da Informação.

«Recebemos informação de um avião vietnamita que diz ter descoberto dois destroços, que parecem pertencer a um avião», confirmou ainda fonte oficial da Comissão Nacional de Busca e Salvamento, que não se quis identificar.

As autoridades da Malásia estão a avaliar a possibilidade de terrorismo no desaparecimento do avião na madrugada de sábado no Golfo da Tailândia quando fazia a ligação entre Kuala Lumpur e Pequim com 239 pessoas a bordo.

De acordo com o ministro dos Transportes, Hishammuddin Hussein, as agências de segurança da Malásia, estão a investigar essa possibilidade depois de informações apontarem para o facto de pelo menos dois dos passageiros do avião terem embarcado com passaportes roubados.

A Interpol já veio dizer que a base de dados dos passaportes dados como perdidos ou roubados não foi consultada pelas autoridades aeroportuárias da Malásia.

De acordo com a polícia internacional, citada pela Reuters, pelo menos dois passaportes estavam listados na base de dados como perdidos ou roubados, concretamente um austríaco e um italiano.

As autoridades da Malásia estão a verificar os circuitos internos de televisão do aeroporto de Kuala Lumpur, mas escusam-se a identificar, para já, os passageiros sobre os quais recaem suspeitas.

O avião da Malaysia Airlines desapareceu do radar uma hora depois de descolar de Kuala Lumpur, revelou ainda o Departamento de Aviação Civil da Malásia.

O voo MH370, que transportava 227 passageiros de 14 nacionalidades e 12 membros de tripulação, perdeu o contacto com o controlo de tráfego aéreo entre a zona leste da Malásia e o sul do Vietname.