O primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, disse esta terça-feira que vai intensificar a pressão para garantir o acesso dos investigadores à zona do leste da Ucrânia onde se encontram os destroços do avião derrubado da Malaysia Airlines.

Os combates intensificaram-se nas últimas horas nas imediações do local onde caiu o avião, impedindo que especialistas holandeses e australianos visitassem a zona devido aos intensos tiroteios.

Abbott mostrou-se «frustrado» depois de os investigadores terem sido forçados a regressar a Donetsk quando se encontravam a 12 quilómetros dos destroços do avião devido a intensos bombardeamentos, apesar de ter sido acordado um cessar-fogo e a criação de um corredor humanitário.

Conheça aqui a história de Fatima, cujos os pais voaram de Perth na Austrália até ao local do desastre por não acreditarem que a filha estava morta.

Na segunda-feira, os líderes de algumas das grandes potências mundiais acordaram esta segunda-feira mais sanções sobre a Rússia em consequência da sua intervenção na Ucrânia.

As potências mundiais que esta segunda-feira estiveram à conversa consideram que Vladimir Putin não se esforçou o suficiente para desarmar os pró-separatistas.