As primeiras sondagens sobre as eleições na Alemanha apontam para a necessidade de a CDU de Merkel e do SPD de Steinbrück terem de se entender, não havendo maioria nem à esquerda nem à direita.

A CDU de Angela Merkel deverá ter cerca de 42%, contra 26% dos social-democratas liderados por Peer Steinbrück, com os liberais do FDP a não chegarem à barreira dos 5%, que lhes daria entrada no parlamento alemão.

De acordo com a sondagem divulgada pela ARD, a Esquerda terá 8,5%, os Verdes terão 8 e o partido da Alternativa para a Alemanha, AFD, terá 4,9%, estando muito perto da barreira dos 5% constitucionalmente exigida para poder entrar no Parlamento.

O líder parlamentar da CDU/CSU, atualmente no poder, considerou hoje que a chanceler alemã ganhou um «mandato claro», enquanto a secretária-geral do SPD, Andrea Nahles, reconheceu que a decisão sobre a futura coligação está nas mãos de Merkel.

De acordo com as primeiras reações que estão ser difundidas pelas agências internacionais, com base nas sondagens à boca das urnas, e que podem entretanto mudar, o líder parlamentar do maior partido alemão, a CDU/CSU de Angela Merkel, mostrou grande contentamento: «Estamos deliciados com este resultado, temos um claro mandato dos eleitores para formar governo, e os resultados mostram que os eleitores querem que Merkel se mantenha como chanceler», disse Volker Kauder em declarações à televisão ARD.