O Governo alemão aprovou esta quarta-feira um projeto de lei autorizando os homossexuais e as lésbicas a adotarem os filhos do seu parceiro, enquanto a proposta legislativa portuguesa sobre coadoção é votada na sexta-feira.

A adoção de crianças por um casal de homossexuais continua, no entanto, a ser ilegal na Alemanha.

Em Portugal, foi agendada para sexta-feira a votação final global do projeto-lei do PS sobre a coadoção de crianças por casais homossexuais.

O projeto de lei alemão segue uma decisão de fevereiro de 2013 do Tribunal Constitucional de Karlsruhe, a mais alta instância judiciária do país.

Na Alemanha, o casamento homossexual não é autorizado. Desde 2001, existe o «contrato de comunhão de vida», que permite aos casais homossexuais oficializarem a sua união e lhes concede direitos semelhantes aos de um casamento, exceto em relação à adoção.

Em junho de 2013, o Governo alemão tinha sido obrigado a alinhar o regime fiscal dos casais do mesmo sexo ao dos casais heterossexuais, após uma decisão do Tribunal Constitucional.

Em Portugal, o projeto socialista sobre a coadoção foi aprovado na generalidade a 17 de maio de 2013, mas o processo legislativo ficou suspenso após a entrada de uma proposta do PSD de referendo sobre a matéria, que foi chumbada pelo Tribunal Constitucional.