As caixas negras do avião espanhol ao serviço da Air Argélia, que quinta-feira se despenhou no Mali, vão ser enviadas para França dentro de dias para serem analisadas pelo organismo francês especializado em acidentes aeronáuticos.

O diretor do Instituto de Investigação e Análise (BEA, na sigla em francês), Rémy Jouty, explicou este domingo, em entrevista à emissora «France Info» que será este laboratório a analisar o conteúdo das caixas negras, que foram transportadas do lugar onde se despenhou avião da companhia espanhola Swiftair até Gao, a cidade mais próxima.

Jouty assinalou que juridicamente será o Mali a dirigir a investigação, mas que as autoridades do país quiseram «beneficiar da experiência e da assistência técnica do BEA».

Apesar de considerar que ainda é demasiado cedo para avançar se o estado das caixas negras permitirá explorá-las, recordou que foram concebidas para resistir a impactos violentos e a incêndios, pelo que espera obter dados úteis.

O voo AH5017 da Air Argélia, que se despenhou no Mali numa viagem da capital do Burkina Faso para Argel, levava 116 pessoas a bordo, 51 das quais de nacionalidade francesa.

O aparelho, ao serviço da espanhola Swiftair, desapareceu dos radares na quinta-feira e os destroços foram encontrados por dois caças franceses a cerca de 70 quilómetros de Gao, uma cidade no nordeste do Mali.

Naquela altura verificavam-se várias tempestades na zona percorrida pela rota do avião.