A investigação à morte de uma criança, após o ataque de um crocodilo, num Resort da Disney World em Orlando, nos Estados Unidos, já se encontra concluída. As autoridades disponibilizaram, esta semana, o relatório final, onde descrevem o terror vivido pela família da vítima e por outras testemunhas, que estavam no local, onde tudo aconteceu, a 15 de junho último.

De acordo com o relatório agora revelado, Matt Graves, o pai de Lane Graves - a criança que morreu - teve de ser transportado para um hospital da Florida. Foi assistido por uma equipa de emergência que encontrou múltiplos cortes numa das suas mãos, causados pelos dentes do crocodilo.  

Um nadador-salvador disse aos investigadores que ouviu gritos e viu o pai de Lane com sangue “em todo o lado direito da sua cara e mão”.

O funcionário do Resort disse, ainda, que viu a vítima e o crocodilo na água, a uma distância entre quatro a sete metros da areia. O animal começou a nadar com muita velocidade e depois mergulhou para o fundo do lago, com a criança nos dentes.

Com a divulgação dos documentos, conhecem-se mais pormenores do incidente como, por exemplo, o facto de uma testemunha ter perdido a consciência depois de presenciar o ataque. As autoridades precisaram também de oferecer apoio psicológico a outra pessoa que se encontrava muito perturbada, após ver o crocodilo arrastar o pequeno Lane para o lago da unidade hoteleira.

Um castelo de areia que ficou por construir

A criança de dois anos aproximou-se do lago, onde se encontrava o crocodilo, para recolher areia que iria utilizar na construção de um castelo. Quando chegou à beira do lago, Lane foi puxado pelo animal. A mãe, o pai e a irmã de quatro anos estavam a poucos metros do local. O pai ouviu barulhos anormais vindos da direção do lago e, quando olhou para trás, viu Lane preso nos dentes do crocodilo.

Numa reação involuntária, Matt Graves saltou para a água e puxou o focinho do animal, tentando, assim, salvar o filho. Segundos depois, o animal puxou o pequeno Lane para de baixo de água e ambos desapareceram na Lagoa dos Sete Mares.

Depois 16 horas de buscas, a equipa de mergulhadores encontrou o corpo do menor, não muito longe da zona onde tinha sido capturado pelo crocodilo.

A autopsia feita ao cadáver da vítima identificou lesões graves no pescoço e concluiu que a criança morreu por afogamento.

No relatório é também confirmada a morte de seis crocodilos da Lagoa dos Sete Mares, cujo comprimento coincidiu com as descrições feitas pelas várias testemunhas. Contudo, não há certezas de que o crocodilo responsável pelo ataque tenha morrido, já que a comparação das amostras de ADN da criança, com vestígios nos dentes dos animais, revelou-se inconclusiva.