O luso-descendente alegadamente vítima de intimidação [bullying] pelos colegas em Inglaterra reivindica mais de um milhão de euros de indemnização à antiga escola por considerar que esta falhou na sua protecção, noticia a Agência Lusa.

Humilhação de luso-descendente em tribunal

John Thomson, hoje com 23 anos, exige, no processo que decorre no Supremo Tribunal de Justiça de Londres, que lhe sejam compensados os gastos com psicólogos, transportes, medicação, despesas da família e rendimentos não ganhos por incapacidade em conseguir emprego.

O jovem alega que, por causa dos insultos continuados que sofreu durante vários anos, entrou em depressão e que isso afectou o seu desempenho escolar, social e profissional.

Andrew Miller, o advogado do estabelecimento de ensino, a Berkhamsted Collegiate School, faz um retrato diferente. O advogado sugere que Thomson exagerou nos problemas psicológicos que diz ter por causa de ter sido gozado pelos colegas e nas incapacidades de interagir que descreve.

Como prova, mostrou fotografias de viagens e festas que Thomson colocou na página que tem no Facebook [rede social na Internet].

Andrew Miller referiu também as boas notas que o jovem teve no ensino secundário e a licenciatura em engenharia electrónica que concluiu no Imperial College de Londres, «uma das melhores universidades do Reino Unido e do Mundo».

«Não é demais pedir um milhão de libras?», questionou esta terça-feira o advogado, numa sessão no tribunal, comparando o valor da indemnização reivindicada com aquele que «um paraplégico pediria» num acidente.

O jovem defendeu-se, alegando que as fotografias em que aparece a sorrir não reflectem o seu estado de espírito. «A depressão não é fácil, é uma montanha russa. Tenho uns dias melhores, outros piores», retorquiu.