O príncipe Carlos, herdeiro da coroa britânica, está de visita à Irlanda e Irlanda do Norte e confirmou ter intenções de visitar o local onde o seu tio-avô foi assassinado pelo Exército Republicano Irlandês (IRA).

Segundo a "Sky News", Carlos de Inglaterra vai visitar a aldeia de Mullaghmore, no distrito de Sligo, onde Lorde Mountbatten foi assassinado junto com dois familiares e um adolescente local. No mesmo dia, um total de 18 soldados paraquedistas foram mortos em Warrenpoint. Razão para os familiares das vítimas e outros paraquedistas serem contra a visita do príncipe.

Já esta terça-feira, o príncipe Carlos e o líder do Sin Féin, partido com ligações ao IRA, tinham protagonizado um momento histórico: pela primeira vez um herdeiro da coroa britânica cumprimentou Gerry Adams.

Este é mais um sinal do avanço das relações entre o Sin Féin e a coroa britânica, e do crescente reconhecimento do Sin Féin como partido político "sério", apesar da sua história.

Carlos e Adams sorriram e apertaram as mãos, num gesto de reconciliação entre a coroa e os republicanos irlandeses.

O encontro aconteceu no campus da Universidade Nacional da Irlanda, em Galway, no primeiro dia de visita do herdeiro britânico.

O príncipe e o líder do Sin Féin também estiveram reunidos, mas o tema em discussão não foi divulgado. À saída Adams disse, apenas, que se tratava de um processo de reconciliação e compromisso.

“A reconciliação é um desafio enorme para nós. É um processo pessoal de diálogo e compromisso. Queremos sarar o passado e construir um novo, melhor e mais justo futuro, baseado na igualdade”, disse.