Ainda na semana passada, Stonehenge foi notícia por ter sido visitado por Barack Obama. O monumento, situado no sul de Inglaterra, é famoso pelo alinhamento de pedras do tempo neolítico e tem um lado oculto que foi agora descoberto pelos arqueólogos da Universidade de Birmingham e pelo Instituo Ludwig Boltzmanm, de Viena.

Os investigadores encontraram novas rochas a quatro metros de profundidade, situadas a menos de três quilómetros a norte do primeiro sítio pré-histórico.

É uma descoberta surpreendente que, segundo a BBC, revela vestígios de cerca de 60 pedras, com cerca de 1,5 metros de largura cada. Encontram-se na horizontal, embora seja bem possível que, originalmente, estivessem na vertical, como aquelas que Obama visitou.

Os arqueólogos envolvidos no projeto estão a construir um mapa digital inédito de Stonehenge. Segundo o site da Universidade de Birmingham, estão a ser usadas técnicas de sensoriamento remoto e levantamentos geofísicos para revelar centenas de novas funcionalidades que agora fazem parte desse mapa digital arqueológico da paisagem envolvente de Stonehenge.

Já há duas semanas, o Instituto Ludwig Boltzmann tinha revelado novas surpresas naquele espaço: foram encontrados cerca de 15 monumentos debaixo do solo, com a ajuda de um radar capaz de penetrar o solo e um scanner a laser 3D.

A História conta que as pedras foram arrastadas do País de Gales até o sul da Inglaterra durante 260 km. Imagine-se, há 5.000 anos.

. A grande dúvida prende-se no como: como é que as pedras chegaram ao sul da Inglaterra?

Uma das teorias alega que terão lá chegado muito antes dos humanos existirem, durante algum deslocamento glacial.

Porém, também há quem acredite que Stonehenge tem mão humana. Os guias turísticos da região contam que, provavelmente, as pessoas utilizaram troncos de árvores como rodas para conseguir transportar as pedras.

Ainda assim, para todos os efeitos, este é um monumento com origem desconhecida. Envolto em mistério, está na lista de muitos - incluindo Obama - como os sítios a visitar antes de morrer. O Presidente norte-americano já pode fazer check na sua.