Um emigrante português morreu num carro-patrulha em Oldham, na zona de Manchester, na Inglaterra, depois de ser detido por distúrbios domésticos. De acordo com o jornal Manchester Evening News, André Moura, com cerca de 40 anos, morreu na passada sexta-feira depois de ser detido em casa.

No comunicado da polícia britânica pode ler-se que, por volta das 23:30 horas, foi feita uma chamada devido a distúrbios domésticos. O suspeito foi então detido pelas autoridades que tiveram que recorrer a gás lacrimogéneo durante a detenção.

André Moura foi então transportado para a esquadra de Ashton mas, quando chegou, já estaria inconsciente na traseira do carro-patrulha. Posteriormente, foi levado para o hospital, onde acabou por ser declarado o óbito. 

A morte foi também já confirmada pelo Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas.

As causas da morte são ainda não são conhecidas. No entanto, a polícia já iniciou uma investigação independente por parte do gabinete de conduta policial para perceber o que aconteceu. As autoridades já estiveram na zona de residência da vítima a falar com testemunhas e vão ainda analisar as filmagens das câmaras de gravação que os agentes transportam junto ao corpo.

A polícia garantiu também que a família do cidadão português "está a receber apoio de agentes especializados neste momento difícil".

Segundo o mesmo jornal, André Moura era visto naquela zona como uma "homem adorável" e os vizinhos dizem estar "tristes" pelo que lhe aconteceu. 

O português vivia com a mulher e os filhos na área Metropolitana de Manchester há seis anos.