Um novo estudo revelou que os britânicos que viveram há 10 mil anos atrás tinham olhos azuis e a pele bem mais escura do que se julgava. As revelações surgem na sequência de um estudo ao perfil genético do "Cheddar Man". 

O homem de Cheddar (ou Cheddar Man) é considerado o esqueleto mais completo e antigo da Grã-Bretanha e foi agora alvo de uma pioneira análise científica por parte de investigadores do Museu de História Natural de Londres e da University College London. 

Através do ADN do esqueleto, os investigadores conseguiram fazer uma reconstituição do crânio em 3D, que permitiu prever como seria o rosto deste britânico primitivo, cuja idade remonta há 10 mil anos atrás. 

 

O crânio do "Homem Cheddar" encontra-se no Museu de História Natural, em Londres

 

E os resultados não podiam ser mais surpreendentes: este homem tinha olhos azuis e um tom de pele escuro, atributos que nada têm a ver com o típico europeu dos dias de hoje.

Os estudiosos referiram, inclusive, que o tom de pele claro, ao contrário do que se pensa, é uma característica relativamente recente. 

O "Cheddar Man" foi descoberto em 1903 na Garganta de Cheddar, localizada perto da vila Cheddar Corge de Somerset, no Reino Unido. Tem sido alvo constante de estudos e teorias por parte de investigadores, que se mostram sempre curiosos para saber o que há de novo para contar sobre os antepassados.