Uma vez mais, ano após ano, as festas no final do Ramadão trouxeram a desgraça no maior país muçulmano do mundo. Mais de 400 automobilistas morreram nas estradas da Indonésia, de acordo com o governo do país.

No que respeita ao caso do Brexit, houve um total de 12 vítimas em três dias”, contabilizou o ministro dos Transportes, Hemi Pramuraharjo, citado pela agência de informação francesa AFP.

As mortes das pessoas encurraladas nos carros à saída da autoestrada na cidade de Brebes, localizada em Java, a maior ilha indonésia, ocorreu entre os dias 3 e 5 de julho.

Criança morre intoxicada

Entre as vítimas, os jornais indonésios referem haver uma criança de um ano, que morreu devido à inalação dos fumos dos escapes dos carros. As restantes eram, na sua maioria, pessoas de idade, com problemas médicos ou que não terão resistido à fadiga.

Não há solução para resolver o problema”, no dizer do ministro dos Transportes, considerando que, no local há até uma estação de abastecimento de gasolina que estreita a faixa de rodagem. Os carros ficam na fila e contribuem para os monumentais engarrafamentos.

Acresce que a saída da cidade de Brebes é também um local concorrido, com inúmeros vendedores ambulantes e mercados populares.

Outra explicação para este terrível Brexit veio também do Ministério indonésio da Saúde. Em comunicado, lembra-se que o uso abusivo do ar condicionado pode levar ao aumento do dióxido de carbono nos espaços fechados dos automóveis. Daí ser recomendado aos automobilistas que descansem durante as viagens mais longas.