Uma mulher de 28 anos foi encontrada no domingo depois de ter sido mantida numa gruta na Indonésia durante 15 anos. Foi raptada por um xamã em 2003, quando tinha 13 anos, e mantida em cativeiro. As autoridades acreditam que o homem, agora com 83 anos, a terá raptado para satisfazer necessidades sexuais.

O idoso é conhecido na região de Sulawesi, na Indonésia, por ser curandeiro e praticar magia negra. Jago, o homem, terá raptado e violado a rapariga em sua casa numa primeira vez, no mesmo ano em que a jovem desapareceu.

Quinze anos depois, a polícia de Tolitoli encontrou-a entre duas pedras numa gruta em Galumpang, na mesma província.

De acordo com o jornal The Jakarta Post, a rapariga, agora com 28 anos e identificada como "HS", foi violada repetidamente durante os 15 anos.

Segundo o chefe da polícia de Tolitoli, Iqbal Alqudusy, Jago era conhecido na zona pelos métodos tradicionais curandeiros e dava consultas a pessoas que tivessem problemas pessoais ou de trabalho. Fazia-se possuir por espíritos para convencer as pessoas.

Quando estava a tratar as pessoas, Jago agia de maneira a parecer possuído, e as pessoas acreditavam nele.", disse Iqbal.

Um habitante da província, Sugeng, disse que Jago enganou "HS" prometendo-lhe que ela iria casar com um espírito que era seu amigo. O mesmo espírito que estava na gruta com ela e que a impedia de sair.

A vítima aparenta ter sofrido uma lavagem cerebral. Ficou com medo de fugir e conhecer outras pessoas porque estava a ser controlada pelo espírito”, explicou Sugeng ao The Jakarta Post.

À data do desaparecimento, Jago disse à família que teria visto a rapariga partir para Jacarta, a capital da Indonésia, à procura de emprego. Os familiares procuraram-na durante anos, mas acabaram por dá-la como desaparecida. Ainda assim, como forma de convencer os familiares e afastar suspeitas, o idoso chegou a entregar comida em casa dos parentes afirmando ser fruto do trabalho dela.

A irmã da vítima, casada com o filho de Jago, alegadamente tinha conhecimento do que se passava. Por várias vezes ameaçou o marido de que iria denunciar o sequestro, mas nunca chegou a fazê-lo. No entanto, numa dessas discussões entre o casal, um vizinho ouviu e denunciou o caso à polícia.

A vítima deve ser levada para o hospital para ser fazer exames físicos e ginecológicos. Quem sabe que tipo de mudanças no organismo fizeram estes 15 anos", destacou Magdalena Sitorus, membro da Comissão Nacional Contra a Violência nas Mulheres do país.

"HS" contou à polícia que, por várias vezes, esteve sem a menstruação e que nesses momentos Jago lhe deu comprimidos para abortar.

O xamã, que foi entretanto detido pelas autoridades indonésias, enfrenta acusações de abuso sexual de menores e sequestro. Pode ser condenado a uma pena de prisão de 15 anos. Também a irmã e o marido - filho do raptor - foram interrogados pela polícia com possibilidade de serem tornados suspeitos.

As autoridades não descartam a possibilidade de haver mais vítimas envolvidas com medo de denunciar.