O Presidente da Indonésia, Joko Widodo, defendeu o uso da castração química como método para “varrer” do país os crimes sexuais, incluindo a pedofilia, numa entrevista transmitida hoje pela cadeia televisiva britânica BBC.

Na minha opinião, a castração química, se aplicada de forma consistente, reduzirá os crimes sexuais e com o tempo varrê-los-á”, defendeu.

O parlamento indonésio aprovou, na semana passada, uma nova legislação que endurece as penas para os crimes de violência sexual contra menores, que incluem a pena de morte.

Apesar das objeções éticas levantadas, Joko Widodo avisou os médicos que, caso se recusem a levar a cabo a castração, a justiça poderá recorrer a médicos militares para a realizar.

O Presidente indonésio propôs a mudança legislativa em maio depois de uma menina de 14 anos ter sido vítima de uma violação coletiva e, posteriormente, assassinada numa escola da ilha de Samatra.