Duas irmãs, com 19 e 22 anos, viram-se forçadas a atacar três homens com um cinto, depois de este ter insistido em avanços de cariz sexual para com as duas dentro de um autocarro.

O incidente aconteceu, esta sexta-feira, em Rohtak, a cerca de 110 quilómetros de Nova Deli, Índia, depois de o homem ter atacado uma das jovens.

Segundo a «BBC Hindi», que cita as duas irmãs, um dos jovem começou por se dirigir às duas raparigas com frases pouco apropriadas, e insistindo que gravassem o seu número de telemóvel. Rejeitado pelas irmãs, o rapaz continuou a importuná-las com gestos obscenos e tentou agarrar uma delas. Quando uma das jovens se levantou para lhe pedir que parasse, o rapaz partiu para a violência, tendo, agarrado uma das jovens pelo pescoço.

As vítimas tentaram chamar a polícia, mas foram impedidas pelos amigos do rapaz, e como ninguém no autocarro as tentou ajudar, as jovens defenderam-se atacando-o com socos e um cinto.
 
«Entrámos no autocarro na paragem de Rohtak e um rapaz começou a meter-se connosco e a tentar dar-nos o seu número de telefone. Quando protestámos, chamou os seus amigos e começaram a fazer gestos obscenos. Fui ter com ele e pedi que não fizesse mais aqueles gestos, ele agarrou-me pelo pescoço enquanto outros seguravam a minha irmã. Depois de uma discussão, um dos rapazes pediu aos amigos que nos batesse. Um deles acabou por agredir a minha irmã, enquanto outros me seguravam», contou uma das jovens.

A rapariga frisou que a agressão foi em legítima defesa e que só aconteceu porque ninguém as ajudou.

«Ninguém nos tentou ajudar. Então tirámos os cintos e [atacámo-los] em legítima defesa. Se os outros passageiros nos tivessem ajudado não teríamos de reagir desta foram», acrescentou.

Mais tarde as duas jovens acabariam por contactar a polícia, e os três homens acabaram detidos.

               

O vídeo tornou-se víral nas redes sociais e está a tornar-se uma recomendação do que fazer em caso de um ataque do género, num país onde este tipo de situações são recorrentes.

Em 2012, um caso mais violento relançou a discussão sobre abuso sexual e violações no país, quando uma jovem de 23 anos  acabou por morrer depois de ser violada por seis homens dentro de um autocarro em Nova Deli.

Protestos em toda a Índia e vários outros países levaram a mudanças no código penal, nomeadamente ao aumento da pena de prisão por violação para 20 anos, e à criminalização do voyeurismo, do stalking e do tráfico de mulheres.

                           

Um caso semelhante aconteceu no mês passado, em Offenbach, na Alemanha, quando uma jovem de 22 anos foi agredida por três homens, depois de tentar ajudar duas outras mulheres que estavam a ser assediadas numa casa de banho de um restaurante «McDonald’s».

Tugce Albayrak foi brutalmente agredida com um bastão e deixada em estado crítico, com ferimentos graves na cabeça, no chão do parque de estacionamento. Foi desligada das máquinas esta sexta-feira, dia em que completou 23 anos.