O director de uma das delegações da polícia criminal indiana afirmou que «se não podemos controlar as violações, desfrutemos delas».

Ranyit Sinha já pediu desculpa por estas declarações, mas as organizações de Direitos Humanos e a oposição indiana pedem a demissão imediata do chefe da polícia.

A afirmação foi feita durante uma conferência de imprensa na terça-feira no contexto de uma conferência de imprensa em Nova Deli sobre a legalização de apostas desportivas.

«O fácil é decidir que não se pode cumprir [a lei], seria o mesmo que decidir que não se podendo evitar as violações, se deve desfrutá-las», cita o «El Mundo».

A comparação foi, no mínimo, infeliz num país em que as violações são uma questão sensível. Em 2011 foram denunciadas 24 mil violações naquele país. No ano passado, o mundo ficou chocado com a violação coletiva de uma rapariga num autocarro da capital. As lesões foram de tal ordem que a jovem estudante acabou por morrer.

As autoridades endureceram as panas para estes crimes em 2013. Um violador pode ser condenado à pena de morte.