Desaparecida desde maio, a menina dera entrada em junho no hospital. Não resistiu aos ferimentos internos, devido à ingestão de ácidos a que terá sido forçada pelo agressor. Uma situação de horror extremo, denunciada pela família e confirmada pela ativista Swati Maliwal, da Comissão para as Mulheres de Nova Deli, através da rede Twitter.

Já em dezembro passado, a menina tinah sido violada pelo mesmo agressor, que aguardava julgamento e foi agora novamente detido.

O caso envolve mais uma pessoa da casta Dalit, conhecida no sistema ancestral indiano como os "intocáveis", cujas raparigas e crianças são frequentemente alvo de violação, normalmente por homens de estratos superiores.

As estatísticas criminais na Índia mostram que mais de quatro mulheres da casta Dalit são violadas diariamente. E que em 2014, este tipo de crimes cresceu 19%, normalmente perpetrado por violadores de castas superiores, muitas vezes reincidentes.

Durante séculos, a casta inferior foi sujeita a opressão e uma forma de suprimir a sua capacitação é através da violência", sublinhou Sunitha Krishnan, uma ativista indiana, também ela sobrevivente ao crime de violação, em declarações à cadeia norte-americana de comunicação CNN.

Menina de quatro anos também violada

Relatos de domingo são conta também de mais um crime que chegou aos noticiários. Uma criança de quatro anos terá sido violada por um vizinho de 28 anos. De acordo com a polícia, está em situação estável, apesar das marcas brutais por todo o corpo.

Uma vez mais a ativista Swati Maliwal, da Comissão para as Mulheres de Nova Deli, dá conta de outro caso, dos milhares que acontecem e não quebram o silêncio dos inocentes.

Torna-se muito triste, porque temos noção de haver uma série de medidas políticas em Deli, mas sentimos que é muito difícil uma mudança no terreno", lamenta Swati Maliwal, ouvida pela CNN.