Cinco pessoas foram detidas, esta quinta-feira, na Índia, por ligação à violação e homicídio de uma menina de nove anos, no estado de Jammu. O crime está a chocar o país.

De acordo com as autoridades, a menina foi sequestrada por um gangue, violada, estrangulada e atacada por um machado. Ainda de acordo com um comunicado emitido pela polícia e citado pela CNN, os homicidas terão arrancado os olhos à vítima.

O crime assume contornos ainda mais chocantes depois de se saber que os principais suspeitos são o meio-irmão da criança, de apenas 14 anos, e dois dos seus amigos. Tudo terá acontecido “na presença e com o consentimento da madrasta” da menina. Na origem de tamanha violência, estará uma disputa familiar.

De acordo com a CNN, o segundo casamento do pai da criança criou uma animosidade entre a primeira e a segunda mulher.

O cadáver foi encontrado em Uri, no último dia 2 de setembro. Estava escondido no meio de arbustos, não muito longe da casa onde vivia com a família. Tinha sido dada como desaparecida pelo pai a 23 de agosto.

Os crimes de violação, com contornos de grande violência, têm sido recorrentes na Índia. Em abril, no mesmo estado, uma menina de oito anos também foi violada e assassinada por um grupo de jovens. O crime incendiou as tensões religiosas na região, já que a criança era muçulmana.

Em junho, cinco ativistas anti-tráfico humano foram vítimas de violação em grupo, no estado de Jharkhand. Nessa mesma região e nesse mesmo mês, duas adolescentes foram violadas e incendiadas de seguida.

Em julho, uma menina de 11 anos, de Chennai, foi violada por 17 homens que trabalhavam no edifício onde a criança vivia.

Cerca de 39 mil mulheres e crianças terão sido vítimas de violação na Índia, só em 2016. Ou seja: uma mulher em cada 15 minutos.