As autoridades indonésias elevaram, este domingo, a 20 o número de corpos retirados de um mar de lama que sexta-feira soterrou dezenas de casa na cidade de Jemblung, no centro da ilha de Java.

Mais de mil pessoas, entre polícias e voluntários, trabalham ininterruptamente para retirar as lamas do local na busca por eventuais sobreviventes da tragédia que assolou aquela zona.

Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas pelo deslizamento de terras, 11 delas com gravidade, e outras 577 foram retiradas para acampamentos temporários, refere a Agência nacional de Desastres ao salientar também que desaparecidas continuam 88 pessoas.

«Estamos a fazer o que melhor que podemos para procurar as pessoas. É um grande trabalho porque estamos a utilizar ferramentas manuais e a zona não está muito estável», disse Edi Rahmatullah, porta-voz militar, citado pelo canal «Metro TV».

A maquinaria pesada requerida para limpar as estradas cobertas de lamas chegou ao local na tarde de sábado, mas as autoridades continuam a vincar a ausência de material adequado na busca por eventuais sobreviventes.

O Presidente indonésio, Joko Widodo, deverá visitar o local ainda este domingo.

O deslizamento de terras aconteceu depois da região ter sido assolada por fortes chuvas.

Anualmente centenas de pessoas morrem em acidentes do mesmo género na Indonésia.

A Agência Nacional de Desastres estima que cerca de metade dos 250 milhões de habitantes do país residem em zonas de risco de avalancha.