Um condutor armado abalroou intencionalmente, nesta segunda-feira, uma carrinha da polícia no centro de Paris, de acordo com as autoridades francesas.

Foi já aberta uma investigação antiterrorista ao incidente que ocorreu nos Campos Elísios, bem no coração da capital.

O ministro francês do Interior, Gerard Collomb, assumiu tratar-se de uma "tentativa de ataque". "As forças de segurança foram uma vez mais o alvo em França", afirmou ainda, acrescentando que as armas e os explosivos encontrados no veículo "podiam ter feito explodir o carro".

Segundo fonte policial citada pela agência de notícias France Presse (AFP), na viatura, um Renault Megane, foi encontrada uma metralhadora Kalashnikov, algumas pistolas e várias botijas de gás.

O carro incendiou-se após a colisão e o homem não resistiu aos ferimentos, apesar de ter sido retirado do veículo.

Foi estabelecido um perímetro de segurança e a população aconselhada a evitar aquela área.

Uma brigada de minas e armadilhas também esteve no local.

Além do atacante, não há mais feridos ou danos materiais a registar.

A polícia de Paris deu o incidente como controlado às 16:34 locais, menos uma hora em Lisboa.

As estações de metro nos Campos Elísios - Concorde e Champs-Elysées-Clémenceau - foram encerradas por motivos de segurança.