O incêndio que lavra há duas semanas no sul da Califórnia, atualmente controlado a 65%, já destruiu 110.300 hectares e fez dois mortos, tornando-o no segundo mais grave da história moderna daquele estado norte-americano.

Segundo o mais recente boletim do Departamento Florestal e de Proteção Contra Incêndios da Califórnia, o fogo, batizado de “Thomas”, encontra-se assim a menos de 300 hectares de superar o “Cedar”, o incêndio mais destrutivo desde que há registos na Califórnia e que, em 2003, arrasou quase 110.600 hectares.

De acordo com a Lusa, os bombeiros conquistaram avanços no combate às chamas na quinta-feira e as ordens de evacuação vigentes no condado de Santa Bárbara foram levantadas. No entanto, cerca de 5.000 operacionais continuam no terreno, onde mais de mil edifícios foram destruídos pelas chamas.

O “Thomas” fez pelo menos dois mortos: um bombeiro e uma idosa que tentava escapar ao fogo.

Este ano tem sido o pior em termos de incêndios florestais desde que há registos na Califórnia, devido sobretudo aos grandes fogos de outubro, que atingiram vários condados daquele estado e consumiram grande parte das famosas regiões vinícolas de Napa e Sonoma.

Estes incêndios custaram a vida a 44 pessoas e destruíram cerca de 8.900 edifícios, segundo o balanço final das autoridades.