Os incêndios que lavram na Califórnia, nos Estados Unidos, há já cinco dias, fizeram pelo menos 31 mortos, de acordo com o mais recente balanço facultado pelo Departamento das Florestas e Proteção Contra Incêndios.

Em conferência de imprensa, na tarde de quinta-feira, o xerife de Sonoma, Robert Giordano, indicou que só naquele condado, um dos mais afetados, foram encontrados 17 corpos, dos quais dez foram identificados, correspondendo a pessoas com idades entre os 57 e os 95 anos.

Robert Giordano deu conta das dificuldades no processo de identificação das vítimas, dado que foram encontrados corpos praticamente intactos, mas também outros reduzidos a “cinzas e ossos”.

Os incêndios no norte da Califórnia consumiram já mais de 3.500 casas, estabelecimentos comerciais e outras estruturas no norte do Estado.

Além das vítimas mortais, há centenas de pessoas desaparecidas, com as autoridades a manterem-se cautelosas em termos de números, uma vez que muitos podem apenas não estar a conseguir contactar com amigos e familiares devido a falhas na rede de comunicações.

No terreno estão mais de 8.000 bombeiros, cuja prioridade, segundo as autoridades, é salvar pessoas e bens e não procurar os desaparecidos.