Pelo menos duas pessoas morreram esta terça-feira depois de um passageiro de um comboio de alta velocidade do Japão se ter imolado pelo fogo no interior da composição, noticiou a televisão pública NHK.

O incidente teve lugar às 11:30 locais (03:30 em Lisboa), num dos comboios de alta velocidade da linha Tokai, que cumpre o trajeto entre Tóquio e Osaka.

O ‘Shinkansen’ encontrava-se entre as estações de Shin Yokohama e Odawara quando um dos passageiros se encharcou em combustível e ateou fogo a si próprio, explicou um porta-voz da companhia ferroviária JR Central à agência noticiosa Efe.

Um homem e uma mulher morreram, de acordo com a NHK, que não especificou, contudo, se o passageiro que provocou o fogo figura entre as vítimas mortais.

As autoridades tentam ainda controlar o incêndio que deflagrou na primeira carruagem do ‘Shinkansen’, parado há várias horas entre as referidas estações e que foi parcialmente evacuado.

O incêndio, provocado voluntariamente numa aparente tentativa de suicídio, fez ainda pelo menos dois feridos graves e cerca de 20 pessoas terão sido assistidas por inalação de fumo, de acordo com os 'media' locais.

A JR Central foi obrigada a suspender a atividade de outros comboios de alta velocidade que cobrem o trajeto entre Tóquio e Osaka, segundo o porta-voz da companhia, devido ao incidente.

O ‘Shinkansen’, cujo primeiro modelo foi lançado em 1964, é o equivalente japonês do TGV, sendo considerado dos comboios mais confortáveis, pontuais e seguros do mundo.