Depois de uma semana de inferno, uma mudança do vento deixava antecipar uma melhoria da situação em Fort McMurray,em Alberta, no Canadá, onde foram destruídas mais de duas mil casas. Várias localidades foram evacuadas. Mais 100 mil pessoas tiveram de ser retiradas da região.

grande incêndio florestal que lavrou na província canadiana de Alberta poupou 90% de Fort McMurray, disse a primeira-ministra provincial de Alberta, Rachel Notley, classificando a capacidade de retirada das pessoas da cidade como “um milagre”, no entanto, o rasto de destruição é visível por toda a região.

As chamas destruíram 2.400 edifícios, segundo a Canada Global News, que relata ainda que os danos causados pelo incêndio vão custar vários milhares de milhões de dólares ao Estado. 

Mais de 100 mil pessoas tiveram que deixar as suas casas e foram transportadas para o Sul do país, onde puderam permanecer em segurança. 

No total, o incêndio consumiu cerca de 1.600 quilómetros quadrados, o equivalente a dez vezes a cidade de Paris. 

Portugueses afetados

Pelo menos dois portugueses tiveram que abandonar a cidade de Fort McMurray, disse à agência Lusa a cônsul-geral de Portugal, em Vancouver.

Os dois portugueses estão “em segurança”, explicou Maria João Boavida, adiantando que a saída da cidade aconteceu de forma “ordenada e tranquila tanto quando foi possível”.

Até agora, o consulado "não foi contactado por cidadãos portugueses que necessitem de apoio consular, nem tem conhecimento de mais portugueses" que tivessem sido retirados da área afetada pelo incêndio.