A Procuradoria Espanhola Anticorrupção vai formalizar a acusação a Iñaki Urdangarin, marido da Infanta Cristina, esta terça-feira. O Duque de Palma de Maiorca será acusado de oito crimes de corrupção, cuja pena pode ultrapassar os 15 anos de prisão.

Segundo o jornal «El Mundo», o representante do Ministério Público, Pedro Horrach, irá acusar Urdangarin de corrução, apropriação indevida de fundos públicos, fraude administrativa, branqueamento de capitais, falsificação de documento público, falsificação de documento comercial e de crimes fiscais.

A Infanta Cristina, por sua vez, não será acusada de qualquer crime.

Recorde-se que o escândalo de corrupção que abalou a monarquia espanhola envolve o marido da infanta, Iñaki Urdangarin, suspeito de ter desviado milhões de euros de fundos públicos por meio do Instituto Nóos, uma sociedade filantrópica a que presidiu entre 2004 e 2006.

Iñaki Urdangarin defraudou o fisco em 337 mil euros

Diego Torres, ex-sócio do marido da Infanta Cristina, está indiciado pelos mesmos crimes, mas só tem um delito contra o tesouro público e, por isso, o Ministério Público pedirá a sua condenação por sete crimes.

Também a mulher de Torres, Ana Maria Tejero, será acusada de crime de branqueamento de capitais.