A França declarou-se este sábado contra o estabelecimento de quotas para a repartição de migrantes e refugiados entre os países da União Europeia (UE), proposta esta semana pela Comissão Europeia.

“Queremos ser particularmente claros sobre isso: sou contra a criação de quotas de migrantes. Isso nunca fez parte das propostas francesas”, declarou o primeiro-ministro, Manuel Valls.


O chefe do Governo socialista francês falava durante uma deslocação à fronteira franco-italiana, onde perto de um milhar de migrantes foram detidos nos últimos dias.

As declarações de Valls vêm contrariar a posição manifestada pelo seu ministro do interior, Bernard Cazeneuve, no início desta semana. “Esta proposta foi parcialmente inspirada pelas propostas apresentadas pela França. É razoável que haja uma redistribuição dos números na União Europeia”, disse Cazeneuve, na segunda-feira, em declarações à rádio RTL. 

Cazeneuve falava dois dias antes de a Comissão Europeia apresentar o sistema de quotas que Valls agora condena. Bruxelas apresentou na quarta-feira a Agenda para a Migração, que inclui quotas de reinstalação de 20 mil refugiados por todos os Estados-membros.