Militares da GNR resgataram 45 migrantes, entre os quais quatro mulheres grávidas, que se encontravam à deriva num barco de borracha no mar Egeu, anunciou a Guarda Nacional Republicana.

Os 45 migrantes provenientes da Síria, entre os quais 22 crianças, 10 mulheres e 13 homens, foram resgatados na quarta-feira por militares da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) que estão destacados na ilha de Kastellorizo na Grécia, adianta a GNR em comunicado.

Segundo a GNR, o resgate ocorreu durante uma ação de patrulhamento marítimo, quando os militares detetaram os migrantes num barco de borracha à deriva no mar Egeu.

“Os migrantes foram resgatados para a embarcação portuguesa em segurança e encaminhados para as autoridades helénicas. Das 10 mulheres, quatro estavam grávidas, tendo uma delas entrado em trabalho de parto naquele momento”, adianta a GNR.

A Unidade de Controlo Costeiro da GNR está na Grécia no âmbito de uma missão da agência europeia Frontex.

A missão tem como principal objetivo “prevenir, detetar e reprimir ilícitos relacionados com a imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes transfronteiriços, contribuindo fundamentalmente para a salvaguarda de vidas humanas no mar através de missões de busca e salvamento”.