Mais de cinco mil pessoas foram resgatadas no mar Mediterrâneo desde sexta-feira, um número sem precedentes este ano, segundo informou a Agência de Controlo de Fronteiras Exteriores (Frontex) da União Europeia.

A Frontex, em comunicado, explica que as operações de resgate foram levadas a cabo por navios britânicos, malteses, belgas e italianos apoiados por aviões da Islândia e da Finlândia, enquadrados na operação Triton e coordenados pela agência.

“Foi a ‘maior onda’ de imigrantes de 2015”, sublinhou o diretor executivo do organismo, Fabrice Leggeri.

O Frontex regista que foram encontrados 17 mortos entre os grupos de imigrantes e que decorrem ainda cinco operações para o resgate de cerca de 500 pessoas.