As sete bocas da erupção vulcânica que assola desde domingo a ilha do Fogo, Cabo Verde, uniram-se esta tarde numa só, provocando uma grande explosão de lava, com a torrente a ter cerca de um quilómetro de largura.

Segundo observou a Lusa no local, às 18:25 locais (19:25 em Lisboa), as sete bocas juntaram-se a uma oitava que surgira cerca de quatro horas antes.

A torrente de lava, que se estendia inicialmente por 600 metros de largura e 4,5 quilómetros de comprimento, aumentou assim significativamente, pondo em risco a povoação de Portela, em plena Chã das Caldeiras, onde dezenas de populares tentavam salvar os bens das residências do povoado.

Pela segunda vez em menos de 24 horas, as autoridades cabo-verdianas abriram uma segunda estrada de terra para permitir a todo o tipo de carrinhas e camiões o acesso à Portela, onde os habitantes locais esventraram literalmente as suas casas, colocando portas, janelas, sanitas, móveis, colchões, pratos, tachos, entre outros bens, nas encostas da cratera de Chã das Caldeiras.

Desconhece-se para já qual a amplitude e consequências da mudança de fase da erupção vulcânica, que agora provém de uma só mini-cratera, comparada com a de Chã das Caldeiras.

Alguns troços da segunda estrada construída na quarta-feira, após uma primeira ter sido consumida pela lava, estavam já com as brasas incandescentes junto à berma.

Esta quinta-feira, o ministro da Defesa português anunciou que a fragata que irá partir na sexta-feira para apoiar os esforços de combate às consequências da erupção vulcânica que assola desde domingo a ilha do Fogo ficará na região durante 15 dias.
 
«A pedido das autoridades cabo-verdianas, amanhã vai zarpar para Cabo Verde uma fragata com um meio aéreo para uma missão de cerca de 15 dias e também disponibilizamos para apoio nesta situação de catástrofe uma equipa de comunicação por via satélite que terá uma missão mais prolongada», disse Aguiar Branco.
 
De acordo com uma nota do Estado Maior General das Forças Armadas, a Fragata Álvares Cabral parte sexta-feira, pelas 16:30, da Base Naval de Lisboa.