Os bispos da Igreja Católica alemã poderão estar a esconder milhões de euros de património em orçamentos especiais, de acordo com uma investigação publicada este domingo pelo jornal Der Spiegel.

Nos últimos dias, tem sido amplamente noticiado na Alemanha o caso do bispo de Limburgo, Franz-Peter Tebartz-van Elst, criticado pelo estilo de vida luxuoso e por, alegadamente, ter mentido sob juramento, estando neste momento, de acordo com a imprensa local, a ser discutida a sua permanência em funções.

«Há muito tempo que não há uma ofensiva como esta à transparência na Igreja Católica», escreve o Der Spiegel, citado pela France Presse.