A igreja anglicana aprovou que as mulheres se podem tornar bispos, acabando com os 20 anos de polémica antiga desde que as mulheres foram autorizadas a se tornarem padres em 1994, avança o The Guardian.

Depois de uma discussão que se prolongou durante várias horas, o sínodo geral votou a favor da proposta do arcebispo da Cantuária, Justin Welby, que já tinha preparados planos de contingência para dissolver o concílio e convocar novas eleições caso o voto tomasse o caminho errado.

No entanto, de acordo com o jornal, a crise foi evitada por uma mudança de mentalidades e pelos votos dos membros leigos. A decisão foi tomada em York, no norte da Inglaterra, dois anos depois de uma primeira tentativa ter sido rejeitada pelo setor laico.

Em 2004, 74 membros leigos votaram contra, impedindo o alcance da maioria de dois terços. Tom Sutclifee, um dos membros que mudou de ideias, afirmou que a «feminilidade episcopal» vi enriquecer a igreja.

Welby, que defende a proposta, afirmou que o primeiro bispo do sexo feminino pode ser escolhido antes do natal.