O ministro da Defesa russo veio esta segunda-feira dizer que está em condições de entregar um míssil, o S-300, ao Irão. Basta receber luz verde para o fazer, noticia a Reuters que cita a Interfax.

Esta informação surge pouco depois da Rússia ter levantado o embargo de venda de um escudo antimíssil ao Irão, já que Teerão assinou um pré-acordo de redução da sua potência nuclear com vários países, incluindo os Estados Unidos.
 
A entrega do míssil foi cancelada em 2010 por força das sanções impostas pelas Nações Unidas. Na Altura, o Irão interpôs uma ação alegando os prejuízos avultados.
 
O Secretário de Estado norte-americano fez saber ao Kremlin os seus receios sobre a decisão da entrega do S-300 ao Irão. No entanto, oficialmente, os Estados Unidos declararam que a decisão russa não vai afetar as negociações da maioria com Teerão.
 
O acordo alcançado há poucas semanas, considerado histórico e até festejado, está num impasse, já que o Irão exige o fim imediato de todas as sanções, ao passo que os outros acordantes defendem um levantamento gradual das mesmas.
 
A situação no Iémen também não contribui para o diálogo com o ocidente. Teerão é contra a ofensiva liderada pela Arábia Saudita e apoiada pelos Estados Unidos aos rebeldes iemenitas.