Pelo menos 31 pessoas, das quais 20 crianças, morreram esta terça-feira após a explosão de dois carros-bomba na cidade de Rada, no centro do Iémen. Os ataques visavam posições da milícia xiita Ansaruallah, também conhecida pelo nome de Houthi.

Fontes dos serviços de segurança e de saúde, citadas pela CNN, indicam que o primeiro carro-bomba tinha como alvo um posto de controlo construído por militantes houthis e coincidiu com a passagem de um autocarro escolar que explodiu no atentado, provocando a morte a 20 crianças. O segundo carro-bomba visou a casa de Abdallah Idriss, um líder local daquela milícia.

O atentado provocou «pelo menos 31 mortos, dos quais 20 eram crianças», declarou à CNN uma fonte dos serviços de segurança.

A mesma fonte adiantou que a idade das crianças que morreram no atentado varia entre os seis e os 12 anos, sendo que pelo menos outros nove alunos ficaram feridos no primeiro ataque, enquanto dezenas de pessoas ficaram feridas no segundo.

A fonte acrescentou que o atentado tem «a marca da Al-Qaeda».

A Al-Qaeda, grupo terrorista sunita, tenta há meses retomar o controlo de Rada. Os houthis tomaram o controlo de Rada, situada na província de Al Baida, em meados de outubro, após duros combates com elementos do grupo terrorista.

O movimento xiita enfrenta uma dura resistência em Al Baida e na região vizinha de Eb, no Sul do Iémen, e tenta alargar o domínio a outras zonas do Norte e do Oeste do país.