Vinte e sete funcionários chineses foram penalizados por um erro judiciário que resultou na execução de um adolescente, há 20 anos, avançaram as autoridades da região autónoma da Mongólia Interior, no extremo norte do país.

A condenação injusta de Huugjilt, que com 18 anos foi considerado culpado de violar e assassinar uma mulher numa casa de banho pública, é um dos casos mais mediáticos na China envolvendo um erro da justiça.

O verdadeiro culpado, Zhao Zhihong, foi preso em 2005 e executado no ano passado.